segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Perigo

Ela era uma mulher abnegada e virgem. Fazia suas orações diariamente e sentia-se realizada assim. Vestia-se como quem se cobre, amedrontada. Um dia uma colega do trabalho disse que faria aniversário num “barzinho família” e a convidou. Receosa, ela foi. Chegando lá, logo procurou se sentar de maneira que não olhasse para todo o local. De onde estava via a porta do banheiro. Mas aqui só tem um banheiro? Perguntou para a colega ao seu lado. É unissex, meu bem. Abriu os olhos, assustada, mas fingiu normalidade. Ah... Eu não entro nesse banheiro! Deu-se essa ordem. Observou uma mulher muito grande entrando no banheiro, com um vestido roxo, curtinho, e com nádegas grandes. Teve orgulho de sua roupa discreta e comportada. Pediu uma água à garçonete. As colegas do trabalho conversavam sobre os mais variados absurdos. Falavam de posições eróticas. Achou estar louca ao ouvir a colega aniversariante dizer que gostava de “uma xota peluda”. A moça forte vinha saindo do banheiro. Ela não tinha seios grandes. Observou um volume entre as pernas daquela curiosa mulher. Mas, mas... Abriu os lábios delicadamente e tocou-lhes. Sentiu algo que nunca sentira. Tocou o seio. A garçonete chega com sua água. Ela se levanta e diz que não queria mais nada. Eu vou embora, EMBORA! Sai correndo, sentindo-se violada. Chegou em seu modesto apartamento e se despiu diante do espelho. Olhou-se com pena. Eu estou enlouquecendo. Foi até o criado mudo, pegou seu terço e começou a orar, nua. Pensava no volume da mulher de vestido roxo. Levou o dedo indicador e o médio até o meio de suas pernas. Aquela mulher de ombros largos. Orava com fervor. Aquele rosto que parecia feito à machadada. Gritava suas preces. Aquela, aquela... Virilidade! Ah, ah! AMÉM! Caiu, exausta, ao lado da cama. De alguma forma ela conhecia o paraíso

6 comentários:

Eduardo Escames disse...

Intrigante.
Vc está lendo muito Saramago. Haha.

Mas eu gostei do texto. É...humm...intrínseco, entende? Vc vê o interior e o exterioriza. E ela chegou ao paraíso através do pecado. E quantos pecados.

Tallulah disse...

Incomodo desejo.
Pressão cotidiana.
Eu reprimido.

Sarah Germano disse...

hahaha
adoreiiii
a melhor parte foi o rosto feito a machadadas..
amei,
dario meu querido, vc parece que vai voar bem amsi longe que eu !
ps. estou com saudades

bianca disse...

oi...
desculpa não lembrar, mas de onde eu te conheço?
vi seu coment no blog e fiquei na dúvida.
de qq forma, valeu por comentar =]

bianca.

Rafael Terra disse...

Muito bom o nome do seu blog :)
www.clicrbs.com.br/terradorafael

Beth Juanita disse...

O pecado é criação do céu... tudo que não deve ser feito.
No inferno não existe pecado, tudo é permitido...
Quero ir pro inferno...