terça-feira, 21 de outubro de 2008

Leste

Onde é escuro, leve todas as histórias que você me contaria, leve o medo que eu sentiria diante de você. Envolva sua nudez incógnita com a brisa que me escapa pelas mãos e esconda onde eu não mais a veja. Roube-me as suplicas e as leve consigo para algum beco que eu não conheça, esconda-me as palavras reescritas e se arraste no sussurro que faço de conta não escutar. Caminhe para o oeste, fuja! Porém, antes silencie minha boca e não me deixe dizer o que está escrito em todos os lugares. Leve no bolso meus devaneios e despeje-os no cais da noite, quando lá chegar. Onde é escuro, finja se lembrar de alguém que você desconhece.

6 comentários:

Ricardo Valente disse...

Danada paixão, muito bem descrita! Projetamos no outro e a vida vira um inferno. Abraço!!!

Abraão Junior disse...

nossa, obrigado pelo comentario
e eu estou perplexo com seu texo
abraço

Valéria disse...

por vezes quendo nos encontramos o desencontro com o outro é inevitável...
é uma vida estranha... mas isso é só o meu entendimento do teu texto...
muito bom!
um abraço

Rubens da Cunha disse...

bom, fugir para o oeste é sempre uma excelente escolha :)
abraços

Vâmvú disse...

"Onde é escuro, finja se lembrar de alguém que você desconhece." Lindo isso...
Norte, oeste, sul ou leste... Importa onde, quando se anda pela escuridão?
Muito bom!!!
Abração

Maria Clara Moraes disse...

Muito bom!