sábado, 11 de outubro de 2008

Mais Um

Quando frio você aperta o passo. Feito aquela Julieta que você não viu, eu estou no centro do palco, eu murmuro seu nome e lhe procuro na platéia, mas como você no frio, todos os rostos são desconhecidos e súbito eu estou sozinho. Feito aquela Julieta, no centro de nada, no canto do palco, eu choro pela boca. Quando passo, aperta o frio.

7 comentários:

betucury disse...

Essa eu levarei para sempre...Eu tenho uma calma desesperada....maravilha total...É isso...............fantástico

Corso disse...

cara, bem expressivo...me sinto assim, às vezes, também...

um abraço!

Ricardo Valente disse...

Puta merda, que angústia. Julieta e o frio... Espera achar o Romeu!!! Abraço!

Maria Clara Moraes disse...

Quando vc passa, aperta o meu frio

Eduardo Escames disse...

mas o frio é tão...

quebradiço.

Vru disse...

queria vê-lo chorar pela boca.

Marcelo L Callegaro disse...

Eu choro pela retina invisível do pensamento.

Retribuindo a visita e endossando o movimento "Libera Alice aí, Burton". ; )