quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Citações

"Escurece, e não me seduz tatear sequer uma lâmpada".
(Drummond)

A loucura em mim é pura. Como estivessem todas as metáforas quebradas, isso que sai de meus olhos agora não se explicam. Mais bonito do que você é ou do que eu me tornaria, "você não sabe", mas são as coisas que eu sinto em segredos escritos, de uma poesia que eu não conhecia, da "palavra que não existe". Pura, é a saudade de um rosto que eu nunca toquei e loucura são todas as coisas que eu faria para tocá-lo. E cada passo louco que eu desse me faria mais puro.

Não se explicam esses olhos de lágrimas suaves. Ou o nome que se repete nas músicas que eu ouço. "Quase triste" se faz esse verso, porém, na minha ânsia impaciente, uma calma repentinha: há de chegar "minha hora, meu momento, minha vez de te encontrar". Não se explica, pois, esse rosto lá de longe, de onde brotam somente palavras "muito mais do que lindas". A pureza em mim é louca.


3 comentários:

Claudio disse...

Aquele que vê pureza na loucura, é e somente é um louco puro.

Bru disse...

Sua hora há de chegar.

Dinho disse...

'A pureza em mim é louca.'



Belo Texto