segunda-feira, 23 de maio de 2011

O Poema Que Eu Lhe Fiz

Espio por uma janela o seu caminhar lá longe. Um sorriso curto sempre marca o seu rosto, enquanto seu olhar vê o que eu não alcanço. Bonitos são seus passos que andam por onde eu não te sigo. Eu sei que um dia nos desencontramos. Ou nos vimos brevemente enquanto estávamos perdidos.

Você não sabe, mas um dia me salvou. Eu estava no fundo de um mar escuro. Então você me puxou, sem saber onde me deixar. E eu, sem saber onde pousar, me deixei subir. Sem dizer nada, pois, você me libertou.

A oração é curta enquanto a poesia acontece. De súbito eu penso que iria em qualquer lugar onde estão seus passos. Eu te encontraria de novo num desencontro outro. E dessa vez, você saberia do poema que eu lhe fiz.

Um comentário:

Nilson Aparecido disse...

Ai meu caro gostei do poema,e tomei a liberdade de copia-lo para uma amiga do face, coloque como autor desconhecido por não ter certeza se é de sua autoria. Mas se for posso retifica-lo. Valeu. Nilson Aparecido