quarta-feira, 13 de julho de 2011

Franco

O lugar mais impensável para nos encontrarmos seria uma praia. Nunca te imaginei em uma. Porém, eu que digo tanto, seria próximo ao mar que eu não precisaria dizer nada.

Eu estaria sentado na plataforma, acompanhando o mar negro indo de encontro ao céu no horizonte que não se vê. Seria lindo se eu pressentisse a sua presença, mas eu só lhe notaria quando falasse, apontando as estrelas: São vaga-lumes, presos naquela coisa azul escura. Em meu rosto se formaria um riso franco, ao me lembrar do filme. Você se sentaria ao meu lado, olhando lá na frente, semi-serrando os olhos, fazendo de conta procurar o horizonte que eu ainda não encontrara. Então se viraria para mim e sussurraria, cheio de magia nas palavras: Va-ga-lu-mes! E seus olhos tão perto, seria como se a noite caísse sobre mim e não houvesse mais nada, além da sua boca com um riso maior que o meu. Ah, se eu soubesse, naquele momento eu lhe cantaria uma música linda. Sua mão encontraria meu ombro, seu braço as minhas costas. Ficaríamos tão perto! Eu me esqueceria do horizonte, do mar, das estrelas e dos vagalumes. Me renderia completamente à noite que você faz piscar lentamente em seus olhos.

Nenhum comentário: